Esclarecimentos sobre as inverdades que acusam a Prefeitura de Quixelô de interferir no bloqueio do Bolsa Família.

bf

bf

Esclarecimentos sobre as inverdades postadas nas redes sociais que acusam a Prefeitura de Quixelô de interferir no bloqueio do Bolsa Família.

Samuel Araújo, vereador e candidato derrotado do PSB, alega que a Secretaria de Assistência Social está retendo o Bolsa Família como forma de vingança e perseguição política contra ele e contra quem votou nele.

Sobre as inverdades ditas pelo vereador, temos a esclarecer o seguinte:

1 – Não podemos saber quem votou na coligação ‘Por Um Novo Quixelô’ por que não temos acesso à urna eletrônica, que é inviolável e seus resultados protegidos por sigilo e criptografia.

2 – Os nomes dos beneficiários que tiveram o Bolsa Família bloqueado por doação estimada são do conhecimento do candidato e vereador que esteve na Assistência Social e foi devidamente informado sobre o motivo dos bloqueios e as providências a serem tomadas.

3 – O comunicado de suspensão do benefício é informado de acordo com a lista do TSE – Tribunal Superior Eleitoral. Conforme informado pelo próprio TSE os dados foram coletados a partir de um cruzamento entre o cadastro de beneficiários de programas sociais do governo federal e o sistema de prestação de contas do tribunal. As pessoas, ao passarem o cartão do Bolsa Família e que estão nessa lista, são orientadas a procurar a Assistência Social. Várias pessoas, incluindo militantes e beneficiários do programa que foram candidatos a vereadores, estiveram presentes na Secretaria e fizeram a sua reclamação e foram orientadas a aguardar a decisão final do TSE.

4 – O TSE classifica as doações de duas formas: A financeira, que é feita em dinheiro, mediante transferência bancária e a doação estimada, ou seja, quando é feita na forma de prestação de serviço e não em dinheiro. O TSE tem considerado as duas situações como suspeitas, conforme declarou o Ministro Gilmar Mendes.

5 – Estamos aguardando a chegada da lista completa que será enviada pelo MDS – Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário. Segundo a Agência Brasil, órgão de divulgação do Governo, o ministro do Desenvolvimento Social e Agrário, Osmar Gasparini Terra enfatizou à imprensa nacional que os dados serão investigados. “Vai ser investigado. Às vezes está sendo usado o CPF da pessoa e ela nem sabe. Vamos fazer uma investigação. Cada caso desse vai ser investigado agora.” Disse o Ministro.

6 – Tão logo tenhamos a lista final do TSE comunicaremos as pessoas que estiverem por ventura presentes nela.

7 – É totalmente descabida a informação de que buscamos prejudicar beneficiários do Bolsa Família ou de quaisquer programas sociais do governo federal. Em relação a essa afirmação estamos encaminhando as ilações ao jurídico para que as providências cabíveis sejam tomadas.
Atenciosamente,

Elane Fausto
Secretária de Assistência Social