Prefeitura responde as críticas e denúncias sobre o Matadouro Municipal

Em 2006, o abatedouro municipal foi embargado pela Superintendência Estadual do Meio Ambiente – SEMACE, por não possuir licença de operação. Na época, o embargo gerou uma multa aos cofres da Prefeitura de R$ 10.000,00 (dez mil reais).

No entanto, a gestão anterior descumpriu o embargo e as recomendações dadas pela SEMACE, quebrou o lacre, reabriu o matadouro e continuou abatendo os animais de forma irregular.

Em Setembro do ano passado, a SEMACE aplicou uma nova multa no valor de R$ 15.000,00 (quinze mil reais) aos cofres públicos, pelo fato da gestão anterior ter descumprido o embargo e por ter infringido a Lei de licença de Operação, ou seja, numa clara demonstração de incompetência e de uma má administração feita pela gestão passada.

Ciente do problema, a nova Administração “Escrevendo uma nova História” que trabalha de forma transparente, democrática e deseja o desenvolvimento sustentável de Quixelô, buscou a SEMACE para saber qual a real situação do nosso abatedouro, solicitando cópias das infrações e começou o processo de regularização para abertura e funcionamento legal do matadouro.

Para isso algumas ações já foram feitas como: a regularização do terreno; elaboração do Projeto de reforma; ampliação do abatedouro, dentro das normas legais; cadastro no SINCONV do Governo Federal; além de efetuar o cadastro na Secretaria de Desenvolvimento Agrário do Estado do Ceará – SDA-CE para capacitação de recursos.

A prefeita Fátima Gomes pede o apoio e a compreensão da população quixeloense e disse que está fazendo todos os esforços possíveis para o pleno funcionamento, de forma legal, do abatedouro municipal.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *