MENSAGEM DA PREFEITA FÁTIMA GOMES

Quixeloenses,

No último dia 11 de abril fui pega de surpresa ao tomar conhecimento de um foco de greve na Escola José Maia em virtude da falsa justificativa que os professores estariam com “salários atrasados”.

Tal atitude prejudicou nossos alunos que tinham provas, outros que ficaram na rua a correr riscos e ainda os pais que também foram surpreendidos ao tomarem conhecimento que crianças de seis anos estavam voltando para casa sem a assistência de adultos.

O valor foi creditado horas depois de uma nota oficial, lançada dia 10 de abril, que informava sobre uma falha técnica a qual seria sanada por todo o dia seguinte – dia 11 de abril – como de fato aconteceu e, às oito e meia da manhã o dinheiro estava na conta.

A precipitação que atribuo ao oportunismo político, politicagem e até má-fé se juntou ao absurdo de termos professores realizando uma paralisação ilegal, com dinheiro nas contas, com o claro intuito de jogar esta administração contra a população.

Felizmente a população percebeu a manobra e criticou a postura daqueles professores que abandonaram seus postos de maneira irresponsável, como se a docência em Quixelô não tivesse conquistado avanços importantes, a saber:

1 – Em 2013 concedemos um dos maiores reajustes a classe ao elevar os salários e 13,5%.

2 – Reconhecemos o direito à progressão de 2,5%, cujas parcelas em atraso serão colocadas em dia a primeira delas agora em maio de 2019, próximo.

3 – Implementamos a destinação de 1/3 da carga horária (enquanto em outros municípios da região é de apenas 1/5) para que o professor possa planejar suas aulas. Tal avanço proporciona a classe um dia e meio apenas para atividades de planejamento.

4 – Ampliamos a efetivação de mais 100 horas aula para 70 professores efetivos.

5 – Os salários estão sendo pagos em dia e por vezes antes do dia. No Carnaval realizamos o pagamento no dia 8 de março e em fevereiro da mesma forma, pois o dia 10 cairia em um fim de semana.

Por fim, esclareço aos quixeloenses que não aceitarei, sob hipótese nenhuma, a realização de paralisações ilegais que têm apenas o objetivo de criar confusão, estabelecer a discórdia, prejudicar alunos, promover a desinformação e colocá-los em risco; tudo isso apenas para praticar uma politicagem que, historicamente, vem se mostrando como um ato que desagrada a população e prejudica o aprendizado dos nossos jovens e de nossas crianças.

Todas as providências jurídicas e administrativas estão sendo tomadas para que os culpados sejam punidos pelos seus atos.

Fátima Gomes

Prefeita

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *