Prefeita Fátima Gomes é homenageada no Dia Internacional da Mulher

 

Ouça a homenagem em áudio na voz de Tércio Júnior

Fátima Gomes, formada em pedagogia pela Faculdade de Ciências e Letras de Iguatu-FECLI e pós-graduada em Psicopedagogia pela Faculdade São Francisco da Paraíba-FASP. Desde muito jovem, Fátima se mostrava ser líder na comunidade de Vila Antonico onde reside até hoje. Ela fundou, juntamente com outros jovens o JUVA, um grupo de jovens da comunidade citada criado para dá início ao protagonismo juvenil de muitas pessoas contemporâneas a ela. Fátima ainda jovem liderou o grupo, que uniu forças para reivindicar melhorias para a comunidade que morava e para traçar metas para o futuro dos que não tinham muita oportunidade de estudo e trabalho, assim como ela.

Depois da atuação no Grupo de Jovens, a nossa homenageada ajudou a fundar a Associação Comunitária da Vila Antonico, na qual, exerceu o cargo de primeira presidente da referida associação que, juntamente com a organização e a participação da comunidade alcançaram inúmeros projetos nos quais contribuíram de forma decisiva para o desenvolvimento local e mudanças no nível de consciências dos associados e familiares.

Participou ainda de vários conselhos municipais tendo sido a primeira presidente do Conselho Municipal da Criança e do Adolescente de Quixelô.

Assumiu a Secretaria de Ação Social de Quixelô no período de 1993 a 1996. Em seguida dedicou-se á educação por durante 27 anos e lecionou nas seguintes escolas: Escola João Vicente Alves – Antonico, admitida no primeiro concurso publico de Quixelô no ano de 1997, em 2001 foi transferida para a Escola Idelfonso Ferreira franco no Sítio Angicos I e em 2002 para a Escola João Rodrigues de Oliveira no Sítio Angicos II, tendo sido demitida em janeiro de 2003. Em 2004 lecionou as disciplinas de História e Ciências do Ensino Fundamental na Escola Gonzaga Mota em Quixelô. Fátima Gomes, por ser uma mulher que não aceitava imposições e injustiças, sofreu perseguição política por quase toda sua trajetória como associativista, cooperativista, sindicalista e, principalmente, como professora e mulher, prova disso são as inúmeras transferências ocorridas durante o curso de sua história atuante na educação.

Ela é professora e tem muito orgulho de sua profissão. Concursada pela prefeitura de Iguatu por meio do 1º concurso publico em 1998 e novamente em 2001, pediu licença em Janeiro de 2006 até Fevereiro de 2008 e decidiu seguir novos horizontes em São Paulo, que é onde muitos nordestinos se obrigam a lutar pela sobrevivência e por uma vida mais digna de se viver e não foi diferente com nossa homenageada. Nesse novo ciclo de sua vida, passou por muitas dificuldades ao lado do seu companheiro João. As várias tentativas de conseguir um emprego a fez pensar em retornar logo no início, mas não estava disposta a voltar para sua terra sem ter tentado mais um pouco até conseguir um emprego e poder sobreviver na cidade de São Paulo. Fátima conseguiu fazer parte da equipe de segurança das Lojas Americanas, por meio de uma seleção. Essa nova experiência de trabalho lhe deixa muito orgulhosa, pois considera que o aprendizado que obteve e as pessoas que com ela conviveu, serviram de ponte para que conhecesse ainda mais o ser humano e o que outras experiências podem ensinar. Retornou à sala de aula para exercer seu ofício em 2008 e permaneceu na sua carreira de educadora até outubro de 2011.

Esse ano em que acabamos de citar é marcado pelo encerramento de um ciclo em sua vida, mas seria também um ano, talvez um dos mais marcantes para sua existência, pois neste mesmo ano ela perdia a sua irmã Socorro Gomes. Socorro é nome para abrirmos mais de 1000 páginas como estas que aqui já foram escritas, pois ela representou muito na sua vida e ainda representa o suficiente para Fátima Gomes seguir viva e lutando contra tantas injustiças, das quais juntas lutaram contra, mas seguiram unidas até o último suspiro da incomparável mulher, mãe, filha, professora e líder Socorro Gomes. Socorro ainda deixou aos seus cuidados, a filha de apenas 9 anos de idade e deu à Fátima mais esse desafio, que era o de ser mãe de coração.

Sem falar na enfermidade que levou seu pai Antonio Gomes a óbito e que ajudou a cuidar até seu falecimento, sem falar também abdicação de viver na tentativa de salvar o sobrinho Rafael Gomes que necessitou transplantar o coração e teve a sorte de ter sido acompanhado e cuidado por ela do inicio ao fim do tratamento, Fátima Gomes já dava sinais de que havia nascido para cuidar dos seus entes, quando em 24 de setembro de 2015 perdeu sua mãe Clotildes Alves aos 90 anos de idade. Pessoa que nunca abandonou, cuidando de sua saúde com a determinação de quem cuida de uma jóia rara.

Fátima Gomes atualmente está aposentada como professora por tempo de serviço público, mas ainda dá aula de como se vive uma mulher que driblou o mundo para chegar aonde chegou, pois é um exemplo a ser seguido e admirado por todos que a conhece.

Em 2012, tomou a difícil decisão de pleitear um cargo na política do nosso município, indicada pelo Partido dos Trabalhadores para a candidatura ao cargo de Prefeita do Município de Quixelô e apoiada pela bancada de oposição na época, Fátima Gomes faz uma campanha pautada pela resistência, democracia, humildade e pela honestidade, bandeiras levantadas por ela durante toda sua vida, vencendo as eleições e tornando-se a Prefeita do Município que ela um dia foi obrigada a deixar pelas inúmeras tentativas de impedimento de atuação como Professora e como Política. Fátima Gomes ainda se reelegeu ao mesmo cargo em 2016 e governa para os quixeloenses, procurando sempre acertar em sua gestão, pois acredita que pode fazer muito mais do que já fez pelo município que governa.

Neste instante, o tempo seria insuficiente para listarmos os grandes feitos executados por ela e sua equipe gestora, também, o tempo seria curto para elencar tudo o que já conseguiu transformar para melhor no nosso município, em todas as esferas que lhe compete como na Educação, na Saúde, na Infraestrutura do Município, na Cultura e Esporte, na Assistência Social, na Agricultura e, principalmente na esfera que mais admiramos na senhora, que é o saber tratar cada um dos munícipes com igualdade e muita atenção. Prefeita, você é uma gestora que serve de exemplo para muitos gestores, por ter resistido a tudo isso que acabamos de dizer, depois de ter nascido MULHER, mas não uma mulher comum, uma mulher a frente de seu tempo, uma mulher que, apesar de todas as limitações do gênero que a sociedade impõe, nunca foi impedimento para sonhar, lutar e transformar a vida dos que tem a sorte de conhecer e conviver com você.

NOSSA SINGELA HOMENAGEM POR SER ESSA MULHER GUERREIRA!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *